19 de jun de 2007

.:. Eva .:.

Qual a graça dos cabelos jogados,
dos dedos entrelaçados, da unha colorida?
Qual motivo da fascinação
por olhar as pernas roçando,
os lábios falando,
o sorriso largado
ao vento num gargalhar?

Se queres o que é belo,
defina a si mesmo
o que é beleza.
Pois pra mim,
o rebolar desengonçado
o olhar esnobado
não há de fazer soar os sinos
e nem tampouco rugir os cílios.

Me faça entender
por que olha tanto,
se meu sorriso
aos montes eu vejo
em cada esquina e azulejos,
no reflexos dos carros a passar

Por quê desse encanto misterioso
de alguém que ansioso espreita,
de alguém que aguarda a colheita
dos beijos que nunca prometi dar?

Me olha como se fosse tua,
me deseja como se fosse a última
nesse mundo de Adão
e apenas uma Eva.

Desista de roubar meus encantos,
de ostentar meu brilho,
de polir meus cantos.

Seja seu amor de ti mesmo
e a mim esqueça.
E quem sabe na desilusão
de não mais ver-te,
meu amor enfim,
pós seu pranto, floresça.

3 comentários:

Marcos Fabricio (ou tampa). disse...

lindo...

Caco Baresi disse...

Sem comentários, Lucia Alonso!
Sem comentários!!!!

gracinha disse...

Lindinha! Adorei todos e o seu sorriso é mais lindo e brilhante que o de Eva. Bjs gracinha

Postar um comentário