19 de jun de 2007

.:. A beleza interior de Narciso .:.

Segundo a Wikipédia, o narcisismo tem o seu nome derivado de Narciso e ambos derivam da palavra grega narke, que significa "entorpecido". Se isso é bom ou ruim sinceramente não faço a menor idéia. Em um mundo de tanto egoísmo e individualismo, que mal haveria em se entorpecer de si mesmo?

Vivemos numa busca incessante pelo belo, seja em que forma ele se faça. Buscamos a beleza da vida, da pele, do sorriso, do amor. Procuramos a graça no que nós julgamos ser bonito, o que definitivamente é um conceito totalmente relativo.

Platão dizia que o corpo é inimigo do espírito humano e que este é peregrino nesse mundo. Não precisaria ser nenhum filósofo para saber que o corpo se vai. Na verdade, a idade mostra isso através dos anos. O corpo envelhece e é a alma que fica.

Por quê cercear a vaidade, enaltecer a humildade e querer provar que não estamos nem aí para o que está no espelho? É certo que há uma linha tênue entre admirar-se e consumir-se. Mas, entorpecer - se de si vale a pena. Procurar enxergar no espelho aquilo que está refletido nos olhos . Por isso há frustração com as pessoas; esperar que elas façam o papel que somos designados a fazer: amar-se, idolatrar-se, admirar-se por dentro e por fora. Esse papel é nosso e se sentir-se feio, a culpa é nossa.

Considerar-se a cada dia melhor que alguém que não seja a você mesmo, trará o feio, o insosso. Cultivar o "belo" que você acredita é uma necessidade. Ser um pouco narcisista mas não ser egoísta é válido. Sem hiprocrisia afinal!

É um paradoxo, nessa sociedade de consumo que vivemos, ainda ouvirmos pessoas que pregam a simplicidade e ignoram que as pessoas são consumistas inclusive, de si mesmas.

6 comentários:

Igor Mauricio Barreto disse...

A auto valorização pe necessária na medida do tamanho do Ego que fomentamos! Ela só deixa de ser saudavel na medida em estrapolamos o sentido e o tamanho dele, exacerbando essa auto valorização a um patamar maior do que um EGo realmente adequado a nossa medida de sentir bem. MAs como dizia o poeta LATINO: "vc já foi mais humilde!"
hehehehehehheheheheheh

HARIOM disse...

Lucia Regina tah q tah...
Acho q temos que nos amar e valorizar sim, sempre! Agora tenho minhas ressalvas quanto a própria-idolatria. Aliás, acredito ser nefasta qualquer idolatria, pois cria uma atmosfera de cegueira, nos fecha os poros para olhar a volta; fixa-nos o olhar num ponto fixo, enquanto uma infinidade de acontecimentos estão a nossa volta e devem ser considerados.

Também acho q não vale a humildade hipócrida, a tentativa forçada de uma "responsabilidade social" de mentira. Mas acho q temos q ter a humildade como meta sim. Até pq sem ela nos sentimos "mais", e quem é "mais" pode "mais".... e os outros acabam sendo menos.

Enfim... acho q eh uma equação q cada um deve descobrir. Mas adorei o texto!!! Tah arrasandoooo...

Bjssss

Wanessa disse...

Adorooooooooooooo suas palavras. Parabéns pela alta capacidade da escrita, não é pra qualquer um não!
Te Adoro Menina Moça!!!

Beijãoooooooooo

Joaõ Barros disse...

Num tô acreditando nas coisas que eu tô lendo. Me desculpe a grosseria, mas quanta bizarrice ainda há por vir? Por favor, leia a frase à seguir: Texto retirado do seu texto:" Em um mundo de tanto egoísmo e individualismo, que mal haveria em se entorpecer de si mesmo?"

Se vc se entorpece de si mesmo, em um mundo individualista, logo vc é individualista, ou não???

João Barros disse...

Ow, com certeza vc quer ser escritora de livros de auto-ajuda. Acertei?

Lúcia disse...

Está desculpado pela grosseria João. Há modos e modos de se fazer uma crítica, algumas pessoas são apenas mais sutis.
Gostaria de falar em relação à, segundo você, "bizarrice" que transcreveu. Vamos nos prender ao que eu quis passar, pode ser que não tenha me expressado da melhor maneira.
Veja esse trecho: “É certo que há uma linha tênue entre admirar-se e consumir-se”. Bem, vejo a todo tempo os estragos que a baixa auto-estima pode causar na vida de uma pessoa. No meu ponto de vista, o ponto de equilíbrio seria admirar-se. Entorpecer-se de si mesmo no sentido de se embriagar, se curtir, se amar. É o MUNDO (pelo menos ao meu redor) é que está individualista e egoísta, e por isso, ser um pouquinho, na dose certa, não faria mal algum a ninguém.
Não sou a favor do narcisismo ou do egoísmo, apenas estou considerando que se embriagar de si vale a pena de vez em quando. Entendeu?
Outro ponto, não desejo escrever sobre auto-ajuda, até porque não tenho know how pra isso. Sou apenas uma observadora do mundo que está ao MEU redor. Talvez se tivesse lido a primeira postagem, entenderia que não quero criar conceitos ou pré – conceitos. Esta é a minha mesa de bar, onde cada um pode expor sua opinião, inclusive eu. Que bom que não concorda comigo. Fico feliz quando há discordância.
De qualquer forma, talvez seja um bom feedback para reelaborar como passar a mensagem. Explicar tin tin por tin tin, sabe?
Mas, continue lendo..quem sabe vc concorda com algo,né? rs
Beijos e abraços!

Postar um comentário