23 de jul de 2009

.:. Celular com tudo dentro .:.

Vem cá, quem inventou o celular com MP3 provavelmente não tem filho adolescente ou se tem, anda passando pouco tempo com ele. É possível ser totalmente a favor da tecnologia e ainda sim amante de brechós e quinquilharias retrô, mas vamos combinar que falta aos manuais um tópico muito importante: o código de conduta tecnológica do usuário.

É difícil entender a utilidade do fone de ouvido se a capacidade de decibéis(uhu!) ultrapassa a barreira dos fones. Claro que isso numa situação dele estar sendo devidamente utilizado, o que é cada vez mais raro. Ás vezes eles estão pendurados no pescoço como um adorno e outras na cabeça como uma tiara, mas um dia ainda descobrem que o propósito deles é ser encaixado nos próprios ouvidos.

Não que não seja bacana ouvir clássicos do PCC, Comando Vermelho e “ar novinha” ás 8 da manhã - é inclusive um estudo antropológico - mas talvez os amantes do Metal, Rock, Funk , Hip Hop e Calypso tenham uma certa dificuldade em ouvir um pouco mais baixo e talvez não devessem mesmo. É apenas preciso relembrar que o nosso limite termina onde começa o do outro e portanto, um código de conduta tecnológica realmente faz falta.

A relatividade cultural está aí para ser respeitada e vejam bem, respeito é bom e eu gosto. Por isso mesmo fico observando as senhorinhas amantes de Roberto Carlos, sendo presenteadas por toques e sons de celulares aos berros com músicas que pra elas são indício do fim dos tempos.
De resto, tudo está uma beleza: celular com MP3 cada vez mais acessível, fones cada vez menos usados e eu cada vez mais surda. Democratização sem educação pode virar um caos. Já pensou juntar isso a um adolescente e toda a sua auto afirmação??? Só implodindo.

.:. Celular com tudo dentro .:.

Vem cá, quem inventou o celular com MP3 provavelmente não tem filho adolescente ou se tem, anda passando pouco tempo com ele. É possível ser totalmente a favor da tecnologia e ainda sim amante de brechós e quinquilharias retrô, mas vamos combinar que falta aos manuais um tópico muito importante: o código de conduta tecnológica do usuário.

É difícil entender a utilidade do fone de ouvido se a capacidade de decibéis(uhu!) ultrapassa a barreira dos fones. Claro que isso numa situação dele estar sendo devidamente utilizado, o que é cada vez mais raro. Ás vezes eles estão pendurados no pescoço como um adorno e outras na cabeça como uma tiara, mas um dia ainda descobrem que o propósito deles é ser encaixado nos próprios ouvidos.

Não que não seja bacana ouvir clássicos do PCC, Comando Vermelho e “ar novinha” ás 8 da manhã - é inclusive um estudo antropológico - mas talvez os amantes do Metal, Rock, Funk , Hip Hop e Calypso tenham uma certa dificuldade em ouvir um pouco mais baixo e talvez não devessem mesmo. É apenas preciso relembrar que o nosso limite termina onde começa o do outro e portanto, um código de conduta tecnológica realmente faz falta.

A relatividade cultural está aí para ser respeitada e vejam bem, respeito é bom e eu gosto. Por isso mesmo fico observando as senhorinhas amantes de Roberto Carlos, sendo presenteadas por toques e sons de celulares aos berros com músicas que pra elas são indício do fim dos tempos.
De resto, tudo está uma beleza: celular com MP3 cada vez mais acessível, fones cada vez menos usados e eu cada vez mais surda. Democratização sem educação pode virar um caos. Já pensou juntar isso a um adolescente e toda a sua auto afirmação??? Só implodindo.

25 de jun de 2009

.:. Pirataria é crime e roubo também .:.

A condenação de uma organização contra o copyright fez a maioria das pessoas acostumadas a “baixar” arquivos pela internet, pensarem duas vezes antes de apertar o start.

O pagamento de 3,6 milhões em indenização por quebra de direitos autorais é sem sombra de dúvida, um valor considerável para uma empresa que vive de compartilhar arquivos. Porém, vamos trazer para a realidade,né? Euzinha nunca teria esse valor.

Não desmerecendo o preço do suor de cada músico, programador e afins, eu apenas não poderia pagar 4 mil dólares mais o frete por cinco raridades do U2 no eBay! Sou amante da música, mas acima de tudo, amo mais o meu dinheiro.

Talvez seja mais fácil permitirmos que o mundo seja consumido por funks neuróticos a 10 reais do que democratizar a boa música. Pra mim não faz sentido. Não que eles não tenham o seu valor, só considero mais simples escrever “senta senta senta” do que letras consistentes. É uma questão de justiça do talento.

O mundo é plano e não posso aguardar a boa vontade das importadoras ou de amigos dispostos a andar mais duas quadras nova iorquinas para me trazer as últimas da gringa. Ou ainda esperar os mestres da MPB fazerem suas coletâneas de 30 anos de carreira para serem vendidas a preços módicos com o título de “Perfil”. Sinceramente, o download é tudo.

Bato palmas para as “crianças” web nativas que conseguem perceber que o modelo contemporâneo é on line. A artista Malu Magalhães pescou isso com apenas 15 anos e está mais na mídia que muitos grandes nomes que, estão a cada dia mais engessados pela máfia das gravadoras. Não é mais simples fazer o download e estar nos mp3 players e Ipods de todo o mundo em segundos?

Não é a bandeira da pirataria que levanto aqui. Até porque essa prática é crime e prejudica milhões de profissionais que sustentam suas famílias com o dinheiro das vendas dos produtos que eles fabricam. Porém, é nítido e claro que estamos de frente com uma tendência e que algo precisa ser feito. Porque pirataria é crime mas pagar uma fortuna para ouvir 14 faixas de música , é um roubo.

.:. Pirataria é crime e roubo também .:.

A condenação de uma organização contra o copyright fez a maioria das pessoas acostumadas a “baixar” arquivos pela internet, pensarem duas vezes antes de apertar o start.

O pagamento de 3,6 milhões em indenização por quebra de direitos autorais é sem sombra de dúvida, um valor considerável para uma empresa que vive de compartilhar arquivos. Porém, vamos trazer para a realidade,né? Euzinha nunca teria esse valor.

Não desmerecendo o preço do suor de cada músico, programador e afins, eu apenas não poderia pagar 4 mil dólares mais o frete por cinco raridades do U2 no eBay! Sou amante da música, mas acima de tudo, amo mais o meu dinheiro.

Talvez seja mais fácil permitirmos que o mundo seja consumido por funks neuróticos a 10 reais do que democratizar a boa música. Pra mim não faz sentido. Não que eles não tenham o seu valor, só considero mais simples escrever “senta senta senta” do que letras consistentes. É uma questão de justiça do talento.

O mundo é plano e não posso aguardar a boa vontade das importadoras ou de amigos dispostos a andar mais duas quadras nova iorquinas para me trazer as últimas da gringa. Ou ainda esperar os mestres da MPB fazerem suas coletâneas de 30 anos de carreira para serem vendidas a preços módicos com o título de “Perfil”. Sinceramente, o download é tudo.

Bato palmas para as “crianças” web nativas que conseguem perceber que o modelo contemporâneo é on line. A artista Malu Magalhães pescou isso com apenas 15 anos e está mais na mídia que muitos grandes nomes que, estão a cada dia mais engessados pela máfia das gravadoras. Não é mais simples fazer o download e estar nos mp3 players e Ipods de todo o mundo em segundos?

Não é a bandeira da pirataria que levanto aqui. Até porque essa prática é crime e prejudica milhões de profissionais que sustentam suas famílias com o dinheiro das vendas dos produtos que eles fabricam. Porém, é nítido e claro que estamos de frente com uma tendência e que algo precisa ser feito. Porque pirataria é crime mas pagar uma fortuna para ouvir 14 faixas de música , é um roubo.

8 de mai de 2009

.:. Dia das Mães .:.

A palavra é paciência. E é pra tudo!
Entendam! Mãe de primeira viagem está sempre exausta, sem dormir, ansiosa e super concentrada num pequenino bebê que requer plantão 24h.
Outra melhor coisa de ser mãe é que tudo é fofo. Todos os bebês são fofos mas nenhum é mais fofo que o seu, mesmo que ele já tenha 45 anos.

Esse primeiro dia das mães representa o marco de uma nova etapa da minha vida. A melhor, a maior e mais importante. A confirmação do que minha mãe sempre dizia: “Quando você for mãe você vai entender”. Sim, agora eu entendo.

.:. Dia das Mães .:.

A palavra é paciência. E é pra tudo!
Entendam! Mãe de primeira viagem está sempre exausta, sem dormir, ansiosa e super concentrada num pequenino bebê que requer plantão 24h.
Outra melhor coisa de ser mãe é que tudo é fofo. Todos os bebês são fofos mas nenhum é mais fofo que o seu, mesmo que ele já tenha 45 anos.

Esse primeiro dia das mães representa o marco de uma nova etapa da minha vida. A melhor, a maior e mais importante. A confirmação do que minha mãe sempre dizia: “Quando você for mãe você vai entender”. Sim, agora eu entendo.