15 de mai de 2007

.:. Fala muito! .:.

Paguei minha conta de telefone. Talvez vocês possam me ajudar a entender o que leva uma pessoa a gastar rios de dinheiro em ligações. Você fica envolvido numa avalanche e quando percebe, lá vai seu salário.

Na busca incessante e raivosa comigo mesma de justificar o alto valor, confiro a conta detalhada para saber quem me ajudou a gastar essa fortuna de celular. Fiquei horas me divertindo, brincando de descobrir de quem eram os números com a conta numa mão e celular na outra. Não sabia? A conta detalhada serve pra isso! Ou vai me dizer que sabe os números de cor?Resultado: descobri que não há outro culpado que não seja eu. E pior, nessa brincadeira eu acabei gastando mais! Vou explicar... quando o número não aparecia no registro da agenda, eu ligava pra saber de onde era. Neurônios que me faltam! Por que fiz isso? Bom... essa é a próxima história.

Numa dessas conferências achei uma ligação para Meaípe, no Espírito Santo. Por que diabos eu ligaria para Meaípe? Tentei de todas as maneiras me lembrar se ao menos conhecia alguém de lá e nada. Um número fixo e mais de 20 minutos! Após arrancar todos os meus cabelos tive um raro momento de lucidez.

Estava cansada com minha rotina e pensei em como seria bom viajar um pouco. Combinei com alguns amigos de passar um feriado no Espírito Santo. Só nesse flash de memória descobri de quem era pelo menos outros quatro números. A preparação dessa viagem me custou uns bons trocados, mas o pior de tudo, é que eu não fiz o passeio e meus amigos sim.

A brincadeira começou a ficar sem graça quando achei algumas cobranças indevidas, mais sem graça ainda quando vi a quantidade de ligações que eu fiz para uma “canoa furada” e sem graça total quando cheguei na lista de chamadas a cobrar ... essa é a próxima.

Todos nós passamos por dificuldades e o que seria de nós se não pudéssemos contar com os nossos amigos? Tenho alguns que adotaram como estilo de vida me ligar a cobrar, sinceramente não me incomoda, mas gostaria de entender uma coisa. Por que eles deixam o celular tocar e quando eu atendo eles desligam? Será que nunca ouviram o que a mulher do telefone manda fazer? “Chamada a cobrar, para completá-la continue na linha após a identificação”. Continue na linha! O fato é que nessa brincadeira eu acabei pagando outros bons trocados, além das ligações de retorno obviamente. Mas amigo é pra essas coisas, né?

Por fim, passei horas nessa diversão que me fez perceber quatro coisas importantíssimas: não ligue de volta para saber de quem é o número; se programar viajar, viaje! Se souber que é “canoa furada” não ligue, oras! E por fim, chamada a cobrar, por favor, continue na linha!

.:. Fala muito! .:.

Paguei minha conta de telefone. Talvez vocês possam me ajudar a entender o que leva uma pessoa a gastar rios de dinheiro em ligações. Você fica envolvido numa avalanche e quando percebe, lá vai seu salário.

Na busca incessante e raivosa comigo mesma de justificar o alto valor, confiro a conta detalhada para saber quem me ajudou a gastar essa fortuna de celular. Fiquei horas me divertindo, brincando de descobrir de quem eram os números com a conta numa mão e celular na outra. Não sabia? A conta detalhada serve pra isso! Ou vai me dizer que sabe os números de cor?Resultado: descobri que não há outro culpado que não seja eu. E pior, nessa brincadeira eu acabei gastando mais! Vou explicar... quando o número não aparecia no registro da agenda, eu ligava pra saber de onde era. Neurônios que me faltam! Por que fiz isso? Bom... essa é a próxima história.

Numa dessas conferências achei uma ligação para Meaípe, no Espírito Santo. Por que diabos eu ligaria para Meaípe? Tentei de todas as maneiras me lembrar se ao menos conhecia alguém de lá e nada. Um número fixo e mais de 20 minutos! Após arrancar todos os meus cabelos tive um raro momento de lucidez.

Estava cansada com minha rotina e pensei em como seria bom viajar um pouco. Combinei com alguns amigos de passar um feriado no Espírito Santo. Só nesse flash de memória descobri de quem era pelo menos outros quatro números. A preparação dessa viagem me custou uns bons trocados, mas o pior de tudo, é que eu não fiz o passeio e meus amigos sim.

A brincadeira começou a ficar sem graça quando achei algumas cobranças indevidas, mais sem graça ainda quando vi a quantidade de ligações que eu fiz para uma “canoa furada” e sem graça total quando cheguei na lista de chamadas a cobrar ... essa é a próxima.

Todos nós passamos por dificuldades e o que seria de nós se não pudéssemos contar com os nossos amigos? Tenho alguns que adotaram como estilo de vida me ligar a cobrar, sinceramente não me incomoda, mas gostaria de entender uma coisa. Por que eles deixam o celular tocar e quando eu atendo eles desligam? Será que nunca ouviram o que a mulher do telefone manda fazer? “Chamada a cobrar, para completá-la continue na linha após a identificação”. Continue na linha! O fato é que nessa brincadeira eu acabei pagando outros bons trocados, além das ligações de retorno obviamente. Mas amigo é pra essas coisas, né?

Por fim, passei horas nessa diversão que me fez perceber quatro coisas importantíssimas: não ligue de volta para saber de quem é o número; se programar viajar, viaje! Se souber que é “canoa furada” não ligue, oras! E por fim, chamada a cobrar, por favor, continue na linha!