3 de nov de 2011

Me caguei de verde e rosa


Eu adoro Escola de Samba e hoje lembrei de um episódio.

Sou Mangueirense mas fui Viradouro a vida inteira. Vou contar como isso mudou.

Sempre frequentei a quadra da Viradouro porque sou Niteroense e achava certo abraçar minha cidade, mas o Acadêmicos não me abraçou na mesma proporção e sempre saía aborrecida da quadra.

Um dia fui ao ensaio da Mangueira e pensei que era melhor não irmos de carro por se tratar de uma comunidade bem perigosa e fomos de carona com um amigo num carro alugado (foi mal Localiza!).

Pra quem não conhece, antes de entrar na quadra rola uma pré num botequim birosca daqueles clássicos com direito a mesa de ferro, xixi no chão, bêbado cativo e boas risadas.

Entrei sem fila (sorte?), sem stress e com um grande sorriso nos lábios.  Um lugar incrível, gente bonita e o verdadeiro sentido de comunidade. Todo mundo na mesma sintonia com o samba na ponta da língua e eu deslumbrada e apaixonada por tudo aquilo.

Voltamos com a certeza de que o povo brasileiro é realmente feliz e admirável apesar de tudo... ou quase tudo.

Ah! Lembra do amigo do carro alugado? Então, ele esqueceu de comentar que tinha ido sem avisar a namorada. E adivinha quem apareceu atrás dele? E adivinha quem perdeu a carona pra voltar? 

Por sorte conseguimos encontrar um amigo gente fina que tinha bebido pouco e tinha ido com o carro de trabalho que mais parecia carro de bandido. Mas era a nossa única saída.

Agradecemos a noite maravilhosa e voltamos para Niterói em clima do fervo da Mangueira. Tudo lindo até aquele amigo caôzeiro que tinha bebido pouco resolver parar embaixo de um viaduto, apertado pra fazer xixi. Conclusão: uma viatura da PM colou na traseira. 

Olha que legal,! Viaduto no morro, carro parado na pista, PM, motorista bêbado... vai dar tudo certo, não é?  Errado!

Enfim... eu só queria dizer que a PM no Morro da Mangueira é de uma elegância sensacional (pigarro) e cada solicitação feita de proprina foi prontamente atendida como bons cidadãos encagaçados que somos. 

E como o papel dos profissionais de segurança pública é cuidar de nós cidadãos, eu levarei pra sempre o conselho do meu melhor amigo de infância que acabei de fazer, de nunca mais voltar na Mangueira já que eu realmente não faço ideia do que alguns "pessoal" de lá gostam de fazer com menininhas bonitinhas como eu. 

Obrigado PM! Sem dinheiro, sem carona e sem vontade nenhuma de voltar à minha querida Mangueira.

De qualquer forma, continuo mangueirense, apaixonada por Cartola e agradecendo todos os dias pelas transmissões ao vivo da Rede Globo e por poder comprar um ótimo sofá. Não existe melhor lugar que o nosso lar quando o cagaço tira toda a nossa coragem. Até ano que vem, Mangueira! Te vejo na TV!