15 de ago de 2007

.:. Fênix .:.

O que atormenta as pessoas? Por que elas têm tanto medo de errar, de tentar e de percorrer novos caminhos? O que é tão perigoso que faz com que as pessoas tenham receio de arriscar?

Quando caminhamos, nunca sabemos o que nos espera na próxima esquina e mesmo assim, vamos à frente. Quando dormimos, nunca sabemos como será o amanhã, mas despertamos com a certeza de um dia totalmente diferente. A mudança implica em ter ou não segurança e mexe com o desconhecido. Mas será que algo que já faz parte da sua vida de alguma forma, é realmente tão desconhecido assim?

Quem arrisca não petisca, não é? O mundo passa por transformações a cada minuto, as tecnologias ficam obsoletas em um piscar de olhos. Não temos a menor restrição em trocar um carro mais velho por um lançamento, ou até mesmo uma casa nova. Mas nas coisas do coração, tudo parece ser mais difícil.

Existe um medo constante de se magoar, de sofrer, de perder o controle, de não dar certo. Um negativismo emocional desenfreado. Cadê a ousadia da modernidade? Cadê o viver e não ter vergonha de ser feliz?

Quando nos permitimos uma atitude audaz, quase arrogante com as estripulias da vida, nos surpreendemos e descobrimos outra felicidade. Então, por que não nos permitirmos experimentar coisas novas e também as velhas que se vestiram de novas com o tempo? Sempre é tempo de recomeçar ou simplesmente, viver de forma diferente. Sempre é tempo de arriscar; levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima.

3 comentários:

Geison disse...

E você? É audaz? Tem medo do novo? Medo de viver algo novo?
Seu texto é muito bom, diria até estimulante, mas queria saber se ele funciona com você também.
Um abraço

~ lari disse...

adorei!
vou ser obriagada a mostrar a um amigo
acho que ele tá precisando ler isso

já virei sua fã, lúcia
beijo

mãe disse...

"Levantar,sacudir a poeira e dar a volta por cima" é o conselho mais antigo e mais sábio e atual que há, para que sejamos felizes e realizados. E fico orgulhosa quando vejo que você não se deixa abater pelas estrepolias da vida, buscando sempre por novidades, principalmente aquelas que podem fazê-la crescer.
beijos

Postar um comentário